Onde quer que a chuva caia…

A primeira vez que ouvi falar sobre Friedensreich Hundertwasser foi em 2008 – a gente tinha acabado de se mudar de Belo Horizonte para São Paulo e estávamos morando em uma casinha de vila no coração do bairro de Pinheiros. Um dos nossos vizinhos (o Tomaz) era um confeiteiro fantástico e sempre batia em nossa porta…

Telhado verde, o mais novo must-have da jardinagem urbana

Achei muito interessante a chamada para o artigo da jornalista Michelle Higgins na coluna de Reforma-Construção-Imóveis do NY Times, dá uma olhada: “Em breve, em uma laje perto de você: telhado verde, o mais novo must-have da jardinagem urbana.“ Cerca de 1.200 edifícios na cidade têm telhados verdes, cobrindo quase 25 dos quase 16.000 hectares…

O que NY e Barcelona tem em comum? Parte 1

Além de serem duas das metrópoles mais influentes e visitadas do mundo,  estas cidades apresentaram nestes últimos meses posicionamentos agressivos para enfrentamento dos desafios climáticos urbanos. O mais interessante é que apesar da enorme diferença de escala entre estes cases (NY: 19,8 milhões de habitantes / Barcelona: 4,6 milhões de habitantes), as similaridades nos desafios…

Telhados verdes: habitats para a biodiversidade urbana

Talvez um dos assuntos mais relevantes e menos divulgados por aqui sobre os telhados verdes é o seu impacto para a criação de habitats urbanos e reestruturação da biodiversidade – entretanto, os serviços ambientais que eles promovem podem ir muito além do que a tríade energia-água-atmosfera. Diversos centros de pesquisa em todo o mundo tem documentado uma…

Os números do mercado de telhados verdes no mundo.

Os telhados verdes são uma das principais tendências da arquitetura e vem sendo promovidos em todo o mundo como tecnologia de impacto sócio-ambiental. Até aqui nenhuma novidade. O que pouca gente tem idéia é da dimensão dos impactos econômicos que esta tecnologia pode promover, então hoje eu quero falar um pouco sobre mercado!! Pois é. A Alemanha continua…

Pelas barbas de Júpiter – ou como um imperador romano criou a primeira lei para telhados verdes da história.

Pois é, parece que os telhados verdes já estão há milênios na pauta dos administradores públicos. Um documento do império romano datado do ano 800 d.C. (Capitulare de Villis) já decretava que os agricultores sob as asas do império deveriam cultivar uma planta chamada ‘barba de Júpiter’ sobre seus telhados: Et ille hortulanus habeat super domum suam Iovis barbam (“E…

EXPO 2015 Milão: agricultura urbana é a última moda

Bom, se queremos falar em agricultura urbana um bom lugar para se começar a pesquisar é a Itália. Neste ‘piccolo paese’, as fronteiras entre o urbano e o rural se sobrepõem, e em todo canto se vê a terra sendo trabalhada – canteiros de estradas, bordas de ferrovias, praças, varandas, terrenos baldios, telhados, coberturas… Por estes (e…

Varandas, paredes e telhados verdes na mira de arquitetos e urbanistas.

Pesquisa comprova que árvores podem ser cultivadas de forma extensiva mesmo sobre estruturas em grandes alturas: mas será que vale a pena? Em busca de saídas criativas para trazer mais árvores e verde para centros urbanos cada vez mais densamente povoados, arquitetos e urbanistas de todo o mundo tem virado suas atenções para os (antes depreciados) telhados, paredes e varandas de prédios e grandes edificações. O Council on…

Hotel produz comida no telhado e economiza mais de 30 mil dólares por ano.

Quando o hotel Fairmont decidiu apostar na diferenciação ecológica de seus serviços, não estava brincando. Inaugurado em 1991, os 2.100m2 da laje de cobertura do 3º pavimento deram lugar ao primeiro telhado verde de Vancouver (Canadá), onde são cultivadas mais de 20 variedades de folhagens, ervas, temperos, hortaliças, frutas e flores comestíveis. Além de proporcionar…

Urbanismo paisagista: o desafio da implementação

“Com um número suficiente de projetos de telhado verde ou de drenagem profunda feitos por proprietários individuais, podemos tornar nossas cidades lugares mais agradáveis de se viver e mais compatíveis com os ecossistemas que elas integram.” Urbano versus rural, arquitetura versus paisagem, homem versus natureza – essas dicotomias de design parecem ter sido bem aproveitadas…