Inovação para o mercado de telhados verdes tem patente concedida na União Européia

É com grande prazer que anunciamos que a primeira telha hidropônica do mundo teve o pedido de patente aprovado pelo Escritório Europeu de Patentes neste final de 2020. Carinhosamente batizada no Brasil com o nome Kaatop (Kaa = folha/floresta), este é o primeiro sistema para cultivo de telhados verdes que dispensa o uso de membranas de impermeabilização.

De fato, está é a primeira e única telha que permite o cultivo de plantas já vista, o que abre um novo mundo de possibilidades para o mercado de construção civil regenerativa. Leve e sem solo, basta parafusar as telhas na cobertura, ligar o sistema de irrigação e inserir as mudas nos orifícios de plantio.

Diferente de qualquer sistema existente, a Kaatop abre caminho para a popularização dos telhados verdes. Os sistemas tradicionalmente desenvolvidos em todo o mundo são revestimentos para lajes e coberturas planas previamente impermeabilizadas e competem majoritariamente por uma fatia muito pequena do mercado – potencialmente estamos falando em menos de 1% dos 11 bilhões de metros quadrados dos telhados que são instalados anualmente no mundo. Apesar de ser um mercado em alta em todo o mundo, atualmente os telhados verdes representam menos de 0,1% do mercado global de coberturas.

Por outro lado 99% do mercado é constituído de vendas de telhas cerâmicas, metálicas ou cimentíceas, que atendem edificações que dificilmente poderiam ser adaptadas para receber um sistema regenerativo de telhado verde, especialmente devido ao alto custo da adequação estrutural. Altas inclinações, estrutura de apoio, custos da membrana de impermeabilização, ervas daninhas, consumo de água… são alguns dos problemas que a nossa nova tecnologia se propõem a resolver.

Desenvolvida primeira vez no Brasil em 2014 e com diversas atualizações e patentes registradas no país, a Kaatop foi desenvolvida para permitir que os telhados verdes possam ser aplicado diretamente sobre estruturas metálicas ou de madeira, da mesma forma como são instalados os tradicionais sistemas de telhas sanduíches já existentes no mercado.

O trabalho desenvolvido pelo Instituto Cidade Jardim nestes últimos anos com o apoio da agência de fomento FAPESP/FINEP baseou-se na ideia de reinventar e evoluir um produto já existente no mercado – os painéis e telhas térmicas tipo sanduíche: por ser bastante similar a um produto já conhecido, fica muito mais fácil para telhadistas e instaladores de telhados verdes entenderem a sua montagem na prática: a simples sobreposição das telhas e o sistema interno de irrigação garantem estanqueidade ao mesmo tempo que permite pisoteio para manutenções.

Além de funcionar como uma telha, a Kaatop também pode ser instalada verticalmente, facilitando a criação de jardins verticais e muros verdes – ou até mesmo como painéis individuais para produção de comida instalados junto a conjuntos fotovoltaicos.

A primeira versão comercial do produto já começou a ser produzida junto a uma empresa licenciada no interior de São Paulo e comercializada pelo Instituto Cidade Jardim no Brasil – e os 2 primeiros projetos já foram implementados e cultivados com sucesso no final de 2020.

Os planos para 2021 incluem ampliar os pontos de distribuição e venda, implementar melhorias nos processos de produção e qualidade do produto, além da seleção de potenciais novos licenciados para produção e distribuição no Brasil, Europa e Estados Unidos, onde já temos a patente requerida e aguardamos a aprovação para ainda este ano.

Quer fazer parte desta história com a gente? Os orçamentos podem ser solicitados pelo site www.kaatop.com ou diretamente pelo site do Instituto Cidade Jardim em www.institutocidadejardim.com.br

Deixe uma resposta