Incentivos para telhados verdes ficam em cima do muro no Brasil

on

VOCÊ JÁ VIU ALGUMA LEI DE INCENTIVO SOBRE TELHADOS VERDES FUNCIONANDO NO BRASIL?

Telhados verdes tem sido promovidos em diversas cidades em todo o mundo, pelo IMPACTO e volume de SERVIÇOS AMBIENTAIS que eles oferecem… mas você sabe quantas cidades oferecem incentivos para instalação de telhados verdes no Brasil?🌾🌾🌾

Pois é, nós resolvemos pesquisar e descobrimos algumas poucas… e o resultado do levantamento que fizemos aqui no Brasil mostra que poderíamos ter avançado muito mais. Encontramos iniciativas em 11 cidades, infelizmente sem praticamente nenhuma realização ainda – e com coisas bizarras do tipo ‘lei complementar para dizer que é permitido fazer telhado verde!!’… Oras bolas, o negócio é permitido desde antes da Babilônia 😉

Certamente não tivemos a pretenção de esgotar o assunto com este primeiro levantamento de dados, então achamos legal abrir e compartilhar com vocês esta pesquisa que começamos a fazer no início 2018, com o mapeamento dos municípios que anunciam ou mencionam o incentivo à instalação de telhados verdes no Brasil. Dá uma conferida!!!

1. Jundiaí: Lei Complementar n. 531 de 2013, aprovada em 25/06/2013. Aparece no texto, “é permitido”, não havendo dessa forma a obrigatoriedade ou incentivo para a sua execução. Secretaria de obras informa que a lei complementar é somente para mostrar que é uma opção de uso de cobertura….😫😱

2. Santos: Projeto de lei complementar (PLC) 19/2015 concede incentivos fiscais a condomínios que implantarem o “Telhado Verde”. O projeto prevê desconto no IPTU para os condomínios de edifícios, que tenham mais de três unidades agrupadas e o desconto vai de 10% a 1,5% no IPTU, dependendo da área utilizada e destinada para o Telhado Verde. Departamento de Impostos e Taxas, IPTU, ISS e ICMS informa que apesar da lei ser promulgada, não há regulamentação sobre o uso de telhado verde para desconto no IPTU, e não possui previsão para que ocorra 🐥

3. Guarulhos: Lei 6.793/2010, que dispõe sobre o IPTU traz previsão de desconto de 3% no valor do IPTU pelo período de 05 exercícios para imóveis que possuam o telhado verde. O Departamento de IPTU informa que o desconto de IPTU está funcionando na cidade e é de 3%. Para conceder o desconto, precisa ter mais de uma medida ambiental (como exemplo, captação de água de chuva, sistema de aquecimento hidráulico solar, etc.), não adianta possuir só o telhado verde. É necessário um cadastro no sistema e o processo é enviado ao departamento de IPTU que irá agendar visita para verificação do desconto. Já existem casos de sistemas de telhado verde que possibilitam desconto de IPTU, mas não tivemos acesso 👓🔍

4. São Paulo: O Projeto de Lei 622/2008, propõe desconto de 15% no valor do IPTU dos imóveis com telhado verde. O Projeto de Lei 47/2013, propõe desconto de até 10% do IPTU a imóveis que mantenham permeáveis pelo menos 30% de sua área total, utilizando o telhado verde ou outras soluções. O Projeto de Lei 386/2014, propõe acrescentar dispositivo à Lei Municipal n. 6.989/66, com vistas a estabelecer incentivos ambientais, conforme o número de medidas protetivas ambientais adotadas pelos imóveis. O máximo de desconto concedido é 20%, enquanto a implantação de telhado verde, possibilita obter 3% de desconto no IPTU. A Lei 16.277 de 2015 promulgada, torna a obrigatoriedade de instalação de telhados verdes em prédios com três ou mais andares. Todos são Projetos de Lei, mas nenhum ainda aprovado. Nesse quesito foi encontrado somente o Decreto Municipal nº 55.994 de 10 de março de 2015, sancionado pelo prefeito Fernando Haddad, com fins de tornar a capital paulista mais verde, pela possibilidade de compensação ambiental pela utilização de telhados verdes e jardins verticais, segundo o art. 4ᵒ – Secretaria de Urbanismo e Licenciamento não sabem informar sobre a regulamentação do decreto. Foi vetado o artigo da lei 16.277 que tornava obrigatório a instalação de telhados verdes, pois influenciaria na construção de moradias populares. Essa lei promulgada apenas para explicar o que são telhados verdes e que a vegetação utilizada deve ser adaptada ao local.🐒🙈

5. Canoas: Lei nº 5.840 de 27 de maio de 2014: “Todos os prédios do Município de Canoas sejam eles residenciais, comerciais ou públicos, projetados e construídos a partir da promulgação da presente Lei, poderão prever a instalação de sistema de Telhado Verde sobre suas coberturas com o fim de compensar parcialmente a construção sobre Área Livre Obrigatória mínima necessária para o terreno. A secretaria meio ambiente informa que Lei está em vigor, mas ainda não existe nenhum projeto destinado a compensação de áreas com os telhados verdes.

6. Blumenau: Lei Complementar Nº 1174/2018: Os projetos de edificações protocolados para análise de construção na vigência desta Seção poderão prever a utilização de “telhado verde”. Toda edificação que implantar o telhado verde poderá utilizar este espaço no cômputo da área permeável, na proporção máxima de 50%. Quando o telhado verde for utilizado como área permeável deverá ser prevista a construção de reservatório de águas pluviais para retardo do escoamento ou para reuso das águas. A Secretaria de Desenvolvimento Urbano informa que a cidade exige 20% do terreno com área permeável, e agora o telhado verde poderá ser responsável por 50% dessa área. Quando o telhado verde for adotado, será necessário a construção de uma caixa de retenção da água. A fiscalização irá ocorrer no habite-se, para a verificação do telhado verde instalado. A lei é recente, então ainda não tem nenhum projeto instalado para contabilizar na área permeável.

7. Florianópolis: O município de Florianópolis criou, através do art. 5º, § 1º da Lei Complementar Municipal nº 480, de 20 de dezembro de 2013, o desconto adicional no IPTU para os imóveis que cumprirem com pelo menos um dos requisitos elencados, relacionados à utilização sustentável do imóvel. Tal instituto ficou denominado “IPTU Sustentável” e inclui: Sistema de Captação e utilização da água da chuva; de reuso de água; aquecimento hidráulico/elétrico solar; aproveitamento energético solar ou eólico; Construções com material sustentável; Separação e encaminhamento de resíduos sólidos inorgânicos para reciclagem; Plantios de mudas; Disposição de áreas verdes de acordo com a extensão total do imóvel; Sistema para manutenção de áreas permeáveis; Permitir recarga do lençol freático; Arborização no calçamento; Instalação de telhado verde; etc. Fomos informados pela supervisão do setor de IPTU da prefeitura que não existe tal Lei (😱) e dentro do IPTU Verde o telhado verde não se enquadra😡😡. Entretanto, há uma regulamentação Estadual (LEI Nº 14.243, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2007) que dispõem sobre criação de telhados verdes em espaços urbanos de Santa Catarina, sendo que o Poder Executivo autorizado a criar parcerias, incentivos fiscais e financeiros aos municípios partícipes do Programa.

8. Rio de Janeiro: A Lei Estadual nº 6.349/2012 torna a obrigatoriedade de instalação de telhados verdes nos prédios públicos, autarquias e fundações do Estado do Rio de Janeiro, para prédios que fossem projetados a partir da promulgação da lei. Foi proposto em 2015 o Projeto de Lei nº 1.354, que dispõe sobre a obrigatoriedade da implantação de telhado verde nas novas edificações públicas municipais e privadas acima de 400 m2, bem como define que caberá ao Poder Executivo Municipal definir as alíquotas de descontos de IPTU, mas o projeto ainda não foi aprovado. Lei Municipal arquivada. Lei estadual – Departamentos que cuidam da legislação estadual não sabem sobre a Lei (nem mesmo o que são telhados verdes).

9. Recife: Lei n. 18.112 em 12 de janeiro de 2015, a qual dispõe sobre a melhoria da qualidade ambiental das edificações por meio da obrigatoriedade de instalação do “telhado verde”, edificações residenciais com mais de quatro pavimentos e as não residenciais com mais de 400m2, ficam obrigadas a implantação de telhados verdes em pavimento destinado a estacionamento de veículo, bem como, exclusivamente para os edifícios multifamiliares, nas áreas de lazer situadas em lajes de Piso, no percentual de 60% e nas áreas de lazer, em pelo menos 30%. Segundo a Gerência de Ordenamento Territorial do Instituto da Cidade Pelópidas Silveira (órgão técnico da Secretaria de Planejamento Urbano da Prefeitura do Recife), a Lei está em vigor, a fiscalização ocorre no momento de liberação do habite-se das edificações que tem a obrigação de instalar os telhados verdes. É realizada uma vistoria para verificar se a edificação foi realizada conforme projeto aprovado, incluindo telhado verde. Depois de liberado o habite-se a fiscalização se dá como um dos itens de controle urbano e ambiental do município. Em caso da constatação da supressão irregular do telhado verde, o responsável pela edificação é notificado. Não fomos informados de nenhum case real de aplicação da lei até o momento.

10. Fortaleza: Projeto de Lei nº 104/2015 que dispõe sobre a implantação de sistemas de naturação através da criação de telhados verdes em espaços urbanos da cidade de Fortaleza. A sua tramitação na Câmara Municipal, registra em sua última movimentação (11/06/2015), o parecer favorável de diferentes Comissões, bem como o status de proposição aprovada, encaminhada a Coordenadoria Geral Legislativa, para serem tomadas as devidas providências.

11. Salvador: DECRETO Nº 29.100 DE 06 DE NOVEMBRO DE 2017, Regulamenta o art. 5º da Lei nº 8.474, de 02 de outubro de 2013, e institui o Programa de Certificação Sustentável “IPTU VERDE” em edificações no Município de Salvador. O decreto vem acompanhado pelo ANEXO1 que lista diversos itens previstos para concessão do IPTU Verde, com diferentes níveis de pontuação. Não tivemos acesso a iniciativas já implementadas.

Na Alemanha, mercado mais desenvolvido desta tecnologia em todo o mundo, mais de 15% de todas as coberturas do país já são verdes. Isso não aconteceu da noite para o dia… eles já pesquisam e desenvolvem esta técnica para PROTEÇÃO DE LAJES CONTRA INCÊNDIOS a mais de 100 anos, mas este mercado começou a tomar corpo a partir da década de 1990 quando PESQUISADORES e ATIVISTAS convenceram seus governos que a aplicação em escala de tecnologias leves de jardinagem para cobrir lajes e telhados iriam ajudar a resolver grandes desafios da urbanização como REDUÇÃO DE ENCHENTES/ENXURRADAS, ALTO CONSUMO DE ENERGIA e ILHAS DE CALOR.

Então se você também acredita que os telhados verdes podem transformar o clima das nossas cidades e de quebra ATIVAR NOSSA ECONOMIA criando rapidamente um mercado estimado em US$ 440 MILHÕES DE DÓLARES (apenas na Europa), COMPARTILHE ESTE ARTIGO E AJUDE A CONVENCER A SUA PREFEITURA QUE A SOLUÇÃO PARA AS ENCHENTES NA SUA CIDADE ESTÁ NA TRANSFORMAÇÃO EM ESCALA DOS SEUS TELHADOS. Convença sua prefeitura à criar (e tirar do papel, é claro) medidas de incentivo para instalação de telhados verdes – e ajude também a colocar a sua cidade no mapa green roof mania.

Deixe uma resposta